[VÍDEO] Churrascada | Entrevista Claudio Baran e Miguel Cavalcanti
30 de junho de 2016
EUA: em maio, foram alojados 10,8 milhões de cabeças em confinamento
1 de julho de 2016

109 vencedores do prêmio Nobel assinam carta pedindo que Greenpeace retire oposição a OGMs

Mais de 100 vencedores do prêmio Nobel assinaram uma carta pedindo que o Greenpeace finalizasse sua oposição a organismos geneticamente modificados (OGMs). A carta pede ao Greenpeace que pare com seus esforços de bloquear a introdução de um tipo de arroz geneticamente modificado que os apoiadores disseram que pode reduzir as deficiências de vitamina A que causa cegueira e morte em crianças em países em desenvolvimento.

“Pedimos ao Greenpeace e seus apoiadores que reavaliem a experiência dos produtores e consumidores em todo o mundo com colheitas e alimentos melhorados através da biotecnologia, reconheçam as descobertas de organizações científicas e agências de regulamentação e abandonem a campanha contra os ‘OGMs’ em geral e contra o Golden Rice em particular”, diz a carta.

goldenrice

A campanha foi organizada por Richard Roberts, diretor científico do New England Biolabs, com Phillip Sharp, vencedor do Prêmio Nobel em 1993 em fisióloga ou medicina para a descoberta de sequências genéticas conhecidas como introns. A campanha tem um site, supportprecisionagriculture.org, que inclui uma lista de assinaturas.

“Nós somos cientistas. Entendemos a lógica da ciência. É fácil ver que o que o Greenpeace está fazendo está prejudicando e é anti-ciência”, disse Roberts. “O Greenpeace, inicialmente, e então alguns de seus aliados, saíram deliberadamente de seu caminho para assustar as pessoas. Foi uma forma de eles levantarem dinheiro para sua causa”.

Roberts disse que apoia muitas outras atividades do Greenpeace e disse que espera que o grupo, após ler a carta, “admita que essa é uma questão em que eles estão errados e foquem naquilo que eles fazem bem”.

A lista de assinaturas da carta tinha 109 nomes na quinta-feira à tarde. Veja aqui a lista.

Resposta do Greenpeace

O Greenpeace respondeu à carta dizendo que a acusação de que a organização estava bloqueando o arroz geneticamente modificada era falsa, já que o produto falhou como solução e não está atualmente disponível para venda, mesmo após mais de 20 anos de pesquisa. “Então, estamos falando de algo que não existe ainda”.

Além disso, o Greenpeace disse que as corporações estão usando o Golden Rice para abrir caminho para outras colheitas geneticamente modificadas mais lucrativas, ao invés de investir no que realmente dá resultado para resolver o problema da desnutrição, que é uma dieta mais diversificada, acesso equitativo a alimentos e eco-agricultura.

Fonte: The Washington Post, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Os comentários estão encerrados.

plugins premium WordPress