Veterinários detectam novo foco em Dom Pedrito
31 de maio de 2001
MS participará de inspeção no rebanho inglês
4 de junho de 2001

A clonagem de bovinos no Brasil

Por José Bento Sterman Ferraz

Nas últimas semanas a imprensa tem veiculado várias informações de interesse dos pecuaristas, relacionadas com o assunto de clonagem de animais, tal como a reportagem divulgada no último dia 21/05/2001, na página A12 do jornal O Estado de S. Paulo.

Com efeito, o Cenargem Embrapa – Centro de Recursos Genéticos e Biotecnologia, localizado em Brasília, tem divulgado suas inúmeras atividades relacionadas ao tema.

No Brasil existem alguns centros desenvolvendo trabalhos relacionados à clonagem de bovinos, como:

– Em Brasília, a equipe do Dr. Rodolfo Rumpf, ligada ao Cenargem (http://www.cenargen.embrapa.br), divulgou recentemente o nascimento de Vitória, o primeiro animal clonado por transferência de núcleo pela Embrapa;

– Na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP, em São Paulo e Pirassununga, SP, o Prof. Dr. José Antonio Visintin (visintin@usp.br) vem desenvolvendo inúmeros trabalhos com esse tipo de tecnologia;

– Na Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da UNESP, localizada em Jaboticabal, o Prof. Joaquim Mansano Garcia (e.mail: jmgarcia@fcav.unesp.br) e sua equipe desenvolvem importantes trabalhos sobre esse assunto;

– Na Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP, localizada em Pirassununga, SP, o Prof. Dr. Flávio Vieira Meirelles (meirellf@usp.br) lidera um grupo que está iniciando seus trabalhos nesta área;

– Na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o Prof. Dr. José Luiz Rodrigues (jlr@orion.ufrgs.br) também lidera um grupo de pesquisas na área.

As tecnologias de clonagem de embriões atualmente sendo utilizadas em bovinos são, basicamente:

– Partição de embriões: tecnologia onde embriões em seus primeiros estágios são divididos e continuam seu desenvolvimento, dando origem a embriões idênticos;

– Transferência de núcleo de células embrionárias para oócitos de outro indivíduo, de onde os núcleos foram retirados (tecnologia utilizada para a obtenção da bezerra Vitória, da Embrapa;

– Transferência de núcleo de células de indivíduos adultos para oócitos de outro indivíduo, de onde os núcleos foram retirados (tecnologia utilizada para a obtenção das ovelhas Dolly e Polly, pela equipe do Dr. Ian Wilmut, na Escócia, do touro Gene, obtido pela ABS nos Estados Unidos e dos clones do famoso touro Holandês Starbuck, produzido, na Université de Montreal, Canadá pelo Dr. Lawrence Charles Smith, um Médico Veterinário brasileiro, radicado no Canadá, além de muitos outros exemplos. Essa tecnologia tem algumas variantes, como:

– Eletrofusão;

– Micro-injeção de núcleos

As vantagens do uso de tecnologias de clonagem são muitas. Só para que os pecuaristas tenham uma idéia, dentre outras, podem ser citadas:

– Multiplicação de animais geneticamente superiores, aumentando as possibilidades de sua utilização e, possivelmente, diminuindo custos e, eventualmente, trazendo de volta ao mercado sêmen de touros já mortos;

– Desenvolvimento de animais geneticamente modificados, que se tornem portadores de características muito interessantes, como leite mais semelhante ao leite materno humano que o das vacas atuais, animais com maior rendimento de carcaça, melhor qualidade de carne, menor teor de gordura, melhor distribuição dessa gordura etc.;

– Desenvolvimento de animais que produzam fármacos que possam ser isolados do soro, plasma, leite ou utilizados diretamente, tornando-se autênticas bio-fábricas;

– Rápida difusão de animais extremamente produtivos.

O uso intensivo de animais clonados, no entanto, pode trazer uma redução muito acelerada da variabilidade genética em determinadas raças ou rebanhos, que é absolutamente necessária para o melhoramento dos mesmos e deve ser contornada com a conservação de germoplasma. A responsabilidade dos cientistas, técnicos e pecuaristas será muito grande, pois quando essas técnicas estiverem totalmente desenvolvidas, a decisão sobre quais animais devem ser clonados será de extrema importância, para que não se difundam mais problemas do que soluções.

0 Comments

  1. Fernando Duarte Ramos Mattos disse:

    Eu gostaria de saber o que difererncia o clone verdadeiro do embrionário.

plugins premium WordPress