CMN simplifica crédito para atendimento de produtor rural cooperado
29 de janeiro de 2021
Conselho confirma greve de caminhoneiros para 1º de fevereiro
29 de janeiro de 2021

Balança comercial do agronegócio paulista tem superávit de US$ 13,1 bilhões em 2020

As exportações do agronegócio paulista apresentaram aumento de 12,9% no ano passado e totalizaram US$ 17,23 bilhões. Já as as importações recuaram 11,9%, somando US$ 4,13 bilhões. Com isso, o superávit do setor no Estado alcançou US$ 13,10 bilhões, montante 23,9% superior ao obtido em 2019, informou a Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio do Instituto de Economia Agrícola (IEA).

Os principais grupos nas exportações paulistas foram: complexo sucroalcooleiro (US$ 6,4 bilhões, sendo que o açúcar representou 84,4% do total, e o etanol, 15,6%), carnes (US$ 2,3 bilhões, em que a carne bovina respondeu por 87,4%), complexo soja (US$ 1,91 bilhão), produtos florestais (US$ 1,54 bilhão, com participações de 49,9% de papel e 37,3% de celulose) e sucos (US$ 1,4 bilhão, dos quais 96,7% referentes a sucos de laranja). Esses cinco agregados representaram 78,6% das vendas externas setoriais paulistas.

As exportações totais do Estado no período somaram US$ 42,39 bilhões e as importações de US$ 51,42 bilhões, registrando um déficit comercial de US$ 9,03 bilhões. O principal motivo da queda foi a pandemia, que afetou vendas externas de mercadorias da indústria extrativista e de transformação, segundo José Alberto Angelo, Carlos Nabil Ghobril e Marli Dias Mascarenhas Oliveira, pesquisadores do IEA.

Em relação aos destinos, a China se manteve na primeira posição, com US$ 4,11 bilhões, montante 38,9% maior que o obtido em 2019. Na sequência veio a União Europeia, com US$ 2,65 bilhões e os Estados Unidos, com US$ 1,66 bilhão. Completam os dez principais destinos em termos de participação: Bangladesh (2,8%), Coreia do Sul (2,7%), Índia (2,6%), Indonésia (2,4%), Arábia Saudita (2,2%), Nigéria (2,1%) e Marrocos (1,8%).

Os pesquisadores destacam as diferenças na composição das pautas dos principais parceiros comerciais do agronegócio paulista: a China importou principalmente produtos do complexo soja (32%), carnes (27,8%), e sucroalcooleiro (21,4%); enquanto a União Europeia deu preferência para os sucos (34,3%, basicamente suco de laranja), produtos florestais (11,1%), sucroalcooleiro (8,3%) e café (10,1%).

Já os Estados Unidos apresentam pauta bastante diversificada, composta principalmente pelos grupos do complexo sucroalcooleiro (25,2%), carnes (17,1%), sucos (15,3%) e produtos florestais (10,4%). Na sequência, de Bangladesh até Emirados Árabes, além de Egito e Malásia, concentraram suas importações no complexo sucroalcooleiro, em alguns casos acima de 80% de representatividade.

Fonte: Valor Econômico.

Os comentários estão encerrados.

plugins premium WordPress