Nelore vai ser marca de carne
5 de março de 2001
Alexandre Scaff Raffi – Tipificação de carcaças e pagamento diferenciado: lições aprendidas pela Novilho Precoce MS
6 de março de 2001

França proíbe o embarque de animais

A França baniu a exportação de ovinos, suínos e bovinos por 15 dias e estabeleceu limites rigorosos sobre seu transporte para deter a doença da febre aftosa que pode entrar no país vindo da Grã-Bretanha, informou o Ministério da Agricultura. O governo também vai abater os 20 mil ovinos importados, direta ou indiretamente, do Reino Unido para a França desde 1o. de fevereiro, junto com outros 30 mil animais que estiveram em contato com eles.

A decisão segue o empenho dos governos da Bélgica, Holanda e Irlanda para impedir que a doença se espalhe além do Reino Unido, onde, visando controlar a doença, o governo ordenou o abate de mais de 50 mil animais. Mesmo sem haver confirmação de casos na França, os testes feitos em nove carcaças de ovinos importados da Grã-Bretanha e abatido na França confirmaram a presença de anticorpos da doença.

“Na semana passada o sinal era de pré-alerta, hoje é de alerta”, disse Catherine Geslain Ianeelle, diretor de segurança alimentar do Ministério para a Agricultura e Pesca, em uma coletiva. “Nos próximos 15 dias, os animais só podem ser transportados para frigoríficos.”

Os criadores vão receber 500 francos (US$ 70,35) de indenização por cada ovino e US$ 703,51 por bovino, informou a ministra da Agricultura, Jean Glavany. Até ontem, cerca de 25 mil ovinos foram removidos. Os testes para detectar os anticorpos de febre aftosa foram conduzidos em 75 das carcaças.

Os animais em questão “demonstraram claramente que tiveram contato com o vírus, embora não se possa afirmar se foram infectados”, disse a ministra. A febre aftosa reduz a capacidade dos animais de se reproduzir e ganhar peso, embora se acredite ser inofensiva aos humanos.

No Reino Unido, o governo começou a emitir licenças para autorizar os criadores. cujos animais estão livres da doença, a transportá-los diretamente para os frigoríficos, permitindo a retomada parcial dos suprimentos de carne bovina depois de ser imposto um veto total sobre o transporte a partir de 23 de fevereiro. O número de fazendas com casos confirmados no Reino Unido cresceu para 70, informou o Ministério da Agricultura e Pesca.

fonte: Gazeta Mercantil

Os comentários estão encerrados.

plugins premium WordPress