São Paulo anuncia crédito de R$ 60 milhões para compra de tratores durante a Agrishow
23 de abril de 2024
Balizador de preços do boi gordo GPB/DATAGRO – Boletim de 23-abril-2024
24 de abril de 2024

Preço do boi gordo segue em alta, com destaque para SP

Os preços da arroba bovina começaram a semana em um cenário positivo, após avanços registrados nos últimos dias em diversas praças pecuárias, mas principalmente em São Paulo. O indicador do boi gordo da Scot Consultoria mostra que nesta segunda-feira (22/4) a cotação atingiu R$ 232,01 por arroba em Barretos (SP), alta de 0,63%.

“Os frigoríficos do Estado [de São Paulo], para manter suas programações inalteradas, se dispuseram a pagar mais pelo boi gordo”, acrescentou a consultoria Agrifatto em nota.

Segundo a Scot, as escalas de abate pelos frigoríficos estão com oferta programada para atender a demanda por nove dias, em média.

Na sexta-feira (19/4), o indicador do boi gordo Cepea/B3 encerrou o dia cotado a R$ 234,50 por arroba, aumento de 1,06% na variação diária, dando sequência a um movimento que se estendeu pela semana passada.

Já no mercado futuro, entretanto, o último pregão da semana que terminou no dia 19 foi marcado por recuo nos contratos negociados na B3. “Aqueles com vencimentos mais curtos como abril, maio e junho sofreram menos com as quedas, sendo elas 0,04%, 0,02% e 0,04% respectivamente”, ressaltou a Agrifatto.

Os contratos que vencem no segundo semestre do ano tiveram as maiores perdas, puxados principalmente pelo vencimento de julho de 2024 que caiu 0,42% para R$ 238,85 por arroba.

“Apesar das quedas no pregão de hoje [sexta-feira], as altas da B3 ao longo da semana estão atraindo mais operadores para os futuros de boi gordo. [A] semana foi marcada pelo ‘retorno’ no direcional dos Investidores Institucionais no mercado, que agora detém o maior saldo comprado em futuros de boi gordo desde dez/24”, comentou a Agrifatto.

Atacado

No mercado atacadista de carne com osso, o preço da carcaça casada de boi inteiro subiu 1,0%, precificada em R$ 15 por quilo nesta segunda-feira, de acordo com a Scot Consultoria.

“Continua a queda mais acentuada nos preços das demais proteínas de origem animal do que a da carne bovina, com isso, a carne bovina está menos competitiva frente às demais carnes”, ressaltou.

Fonte: Globo Rural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress