Balizador de preços do boi gordo GPB/DATAGRO – Boletim de 15-abril-2024
16 de abril de 2024
Preço do boi gordo passa a subir no mercado futuro
16 de abril de 2024

Ciclone extratropical na Argentina causa tempestades e até neve no Cone Sul

Um ciclone extratropical deve ser formar na Argentina neste início de semana, levando tempestades e até neve para algumas áreas do Cone Sul da América do Sul. A informação é da MetSul Meteorologia. Segundo os meteorologistas, a frente fria que o fenômeno vai originar deve entrar no território brasileiro pela região Sul.

A MetSul pontua que o ciclone não deve adentrar o território brasileiro. Irá se concentrar na costa da Argentina, Sul da província de Buenos Aires e no litoral norte da Patagônia. Em seguida, a tendência é de se deslocar em direção ao mar no Atlântico Sul. De qualquer forma, não deixa – em conjunto com a frente fria – de provocar instabilidades.

“A formação do ciclone e posterior frente fria geram instabilidade em uma área extensa do Cone Sul da América do Sul, com previsão de chuva localmente de forte a intensa e temporais em diversas áreas da Argentina, Uruguai, Paraguai e o Sul do Brasil nesta primeira metade da semana, especialmente entre a segunda e a terça”, diz a MetSul.

Mapa mostra previsão de chuva para o Sul do Brasil — Foto: MetSul

O sistema de baixa pressão que dará origem ao ciclone vem do Oceano Pacífico pelo Chile, atravessando a Cordilheira dos Andes. Este sistema deve se encontrar com o ar tropical mais quente e úmido no centro e nordeste da Argentina e já trazer chuva e temporais em áreas de latitude média na América do Sul.

Em seguida, essa chamada “baixa em altitude” se encontra com um centro de baixa pressão atmosférica em superfície. A partir daí, migra em direção ao Sul, onde se aprofunda e forma o ciclone extratropical entre o fim da segunda e a terça-feira.

“Quando o ciclone estiver maduro e mais intenso, entre terça e quarta-feira, vai estar perto de dois mil quilômetros ao sul de Porto Alegre, portanto, distante do Sul do Brasil. Por isso, seus efeitos em termos de vento de circulação ciclônica vão ser sentidos no litoral da Argentina e não devem ter maior impacto no Sul do Brasil”, explica a MetSul.

Na terça-feira, com o avanço do ciclone pela Argentina, o tempo fica ainda mais instável, principalmente na metade oeste do Rio Grande do Sul, no nordeste da Argentina e no Paraguai.

“Os volumes de chuva até a terça-feira no Sul do Brasil podem ser muito altos em diversas cidades. Vários pontos podem ter mais de 100 milímetros, com os maiores volumes previstos para segunda e terça, que vão se somar aos volumes já altos dos últimos dias”, avalia a MetSul.

Fonte: Globo Rural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress