Preço do boi gordo cai, apesar de demanda firme
13 de maio de 2024
Balizador de preços do boi gordo GPB/DATAGRO – Boletim de 13-maio-2024
14 de maio de 2024

Depois da Flórida, Alabama é o segundo estado dos EUA a proibir carne cultivada em laboratório

O Alabama se tornou o segundo estado dos EUA a proibir a venda de carne cultivada. Na terça-feira, a governadora Kay Ivey sancionou a lei SB23, tornando a fabricação, venda ou distribuição de produtos alimentícios produzidos a partir de células animais cultivadas uma contravenção de Classe C a partir de 1º de outubro.

De acordo com a nota fiscal do projeto de lei, as penalidades civis podem variar de US$ 100 para uma violação de Classe II até US$ 10.000 para uma violação de Classe V para estabelecimentos de venda de alimentos que violarem as disposições do projeto de lei.

No entanto, a legislação não impede que qualquer instituição federal de ensino superior, ou uma pessoa que tenha parceria com uma entidade governamental ou instituição de ensino superior, realize pesquisas no Alabama sobre a produção de produtos alimentícios cultivados.

A proibição do Alabama segue o precedente legal da Flórida adotado no início deste mês. O governador Ron DeSantis sancionou a SB 1084 como lei, observando que a ação visa “impedir o objetivo do Fórum Econômico Mundial de forçar o mundo a comer carne e insetos cultivados em laboratório, ‘uma fonte de proteína negligenciada’”. Em vez disso, o estado estará “aumentando a produção de carne e incentivando os residentes a continuarem consumindo e desfrutando de carne 100% verdadeira da Flórida”.

A primeira carne cultivada em laboratório foi criada em 2013 por Mark Post, da Universidade de Maastricht. O hambúrguer de carne cultivada foi feito com mais de 20.000 fios de tecido muscular, custou mais de US$ 325.000 e levou dois anos para ser produzido.

Atualmente, mais de 150 empresas em todo o mundo vendem carne cultivada com células, incluindo 43 nos Estados Unidos.

Até o momento, pelo menos sete estados consideraram projetos de lei em 2024 para proibir a venda, a produção ou a distribuição de carne cultivada em laboratório, incluindo Arizona, Iowa, Tennessee e Texas.

Em nível mundial, o parlamento italiano baniu a tecnologia de seu país. O projeto de lei é semelhante a um proposto na França, e a Áustria e a Croácia podem seguir o mesmo caminho em breve.

Fonte: BEEF Magazine, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress