Produtores argentinos querem antecipar vacinação
21 de junho de 2001
Missão européia encerra trabalho no RS
25 de junho de 2001

Descoberto vírus que pode combater E.coli

Cientistas da Estação Experimental Texas Agricultural, nos Estados Unidos, descobriram que partes de um pequeno vírus que ataca somente bactérias podem agir como antibiótico e destruir bactérias. Um relatório sobre a ação de antibiótico do pequeno vírus “Q Beta” foi publicado nesta semana na revista Science. A pesquisa foi financiada pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA.

As descobertas podem fornecer novos caminhos para as drogas que combatem sérias doenças causadas por infecções bacterianas, incluindo a E.coli, pneumonia, infecções causadas por estafilococos, infecções de ouvido, doença de Lyme e cólera em humanos, bem como doenças bacterianas em animais, segundo Tom Bernhardt, estudante de doutorado em bioquímica e Ing-Nang Wang, pesquisador chefe do projeto.

Novos tipos de antibióticos tornam-se cada vez mais importantes, porque muitas doenças causadas por bactérias estão se tornando resistentes a antibióticos, reduzindo o número de medicamentos disponíveis para tratamento. Pesquisadores temem que essa resistência bacteriana resulte em epidemias de doenças.

A pesquisa da Estação Experimental mostra que a proteína do vírus “Q Beta”, conhecida como “fago”, age na bactéria da mesma forma que os antibióticos. Ela bloqueia a habilidade da célula bacteriana de produzir sua parede externa, de forma que as bactérias explodem ou se destroem, em vez de se multiplicarem, acabando dessa forma com a doença.

A expectativa é que os laboratórios farmacêuticos utilizem essas proteínas virais para a confecção de novos tipos de antibióticos.

Esse vírus não é encontrado em infecções humanas, animais ou de plantas, sendo praticamente pacotes dormentes de DNA ou RNA, envoltos por uma capa protéica, até que entrem em contato com bactérias, disse Bernhardt. Eles, então, entram em ação replicando-se dentro das bactérias, que são destruídas.

“Seu potencial de destruição de bactérias deveria ter sido explorado profundamente há muitos anos, mas somente agora, com o aumento da resistência bacteriana aos antibióticos, esses vírus ganharam a atenção merecida”, disse Wang.

fonte: Agriculture.com, adaptado por Equipe BeefPoint

Os comentários estão encerrados.

plugins premium WordPress