Portaria do Ministério da Agricultura vai reintegrar zona tampão
4 de janeiro de 2001
Austrália e Nova Zelândia proibem carne bovina da Europa
8 de janeiro de 2001

Efeito do tipo de dieta na quantidade de ácido linoléico conjugado (ALC) presente da gordura intramuscular de bovinos

O consumo excessivo de ácidos graxos saturados têm sido associado com o aumento da concentração de colesterol – LDL, o que é sabidamente um fator potencial no desenvolvimento de doenças coronárias (Keys, 1970). Por outro lado, os ácidos graxos monoinsaturados e poliinsaturados têm sido mais recentemente descritos na literatura especializada como sendo fatores anti-trombogênicos (Ulbricht e Southgate 1991).

A gordura bovina é reconhecidamente portadora de uma maior quantidade de gordura saturada e menor quantidade de gordura mono ou poliinsaturada devido ao processo de hidrogenação presente no rúmen. Existem evidências de que o consumo de forragens aumenta a quantidade de ALC na gordura bovina. Segundo Chin et al. 1992, as gorduras dos ruminantes estão entre as mais ricas fontes naturais de isomeros ALC, particularmente o isomero cis-9, trans11, que é decorrente da hidrogenação microbiana do ácido linoléico da dieta em nível de rúmen. Muitos estudos descrevem o ácido linoléico como sendo de efeitos anticarcinogênico e antiatherogênico.

French e colaboradores (2000), conduziram na Irlanda, um trabalho com o objetivo de avaliar a quantidade de ALC presente na gordura intramuscular, também conhecida como marbling ou marmorização, no qual 50 novilhos foram alimentados por 85 dias com dietas: 1) à base de forragens unicamente na base de 22 Kg MS/dia, 2) 1 Kg de silagem ad libitum, mais 4 Kg de concentrados, 3) 6 Kg de forragem mais 5 Kg de concentrados, 4) 12 Kg de forragem mais 2,5 Kg de concentrados e, 5) 8 Kg de concentrados mais 1 Kg de feno.

A concentração de ácidos graxos poliinsaturados na gordura intramuscular foi significativamente maior nos novilhos recebendo a ração a base de forragens. Diminuindo a proporção de concentrados na dieta houve uma redução linear na concentração de ácidos graxos saturados (o que é desejável), e aumento na concentração de ALC.

Os resultados do presente trabalho indicam que a composição de ácidos graxos presentes na gordura bovina (intramuscular) podem ser alteradas através da inclusão de forragens na dieta dos bovinos, o que se torna um ponto altamente positivo do ponto de vista da nutrição e da saúde humana.

********

Fonte: French, P. et al., J. Ani. Sci., Nov. 2000.; Keys, 1970; Ulbricht e Southgate, 1991 e Chin et al. 1992 apud French, P. et al. 2000

Os comentários estão encerrados.

plugins premium WordPress