Preço do ‘boi China’ avança em São Paulo com demanda aquecida pela carne
11 de julho de 2024

EUA: Mais jovens estão se dedicando ao campo, mas 58% dizem que não há um plano de transição em vigor

O último Censo de Agricultura do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) mostra que menos de 10% de todos os produtores têm menos de 35 anos e menos ainda têm menos de 30 anos. No entanto, aqueles que têm a oportunidade de produzir estão aproveitando a chance.

“Acho que, no fundo, eu sempre soube que queria voltar e me envolver de alguma forma”, diz Lindsay Baneck, agricultora de Helenville, Wisconsin. “Acho que, pouco a pouco, percebi que há uma grande oportunidade para eu assumir essa operação.”

Os dados do USDA mostram que os produtores com menos de 40 anos podem ser uma raça rara, mas uma nova pesquisa mostra que essa tendência pode estar mudando.

A pesquisa revelou que:

  • 80% dos produtores mais jovens se identificam como proprietários/operadores, mesmo que não tenha ocorrido uma transição legal de propriedade.
  • 58% dos produtores mais jovens pesquisados disseram que não têm um plano de sucessão formal em vigor.

O Farm CPA Paul Neiffer disse que a aposentadoria está desempenhando um papel importante na decisão da geração mais jovem de voltar para a fazenda.

“Nós, os Baby Boomers, estávamos mais dispostos a nos aposentar do que a geração anterior, porque queríamos ter nosso tempo livre”, diz Neiffer. “Agora, ainda queremos dirigir o trator e a colheitadeira, mas queremos nos aposentar. Portanto, definitivamente vejo muito mais Millennials e até mesmo algumas das gerações Z mais velhas, eles estão tomando conta de muitas das decisões de compra. E papai e mamãe não se importam com isso”.

Terry Griffin é professor do departamento de economia agrícola da Kansas State University. Ele diz que a mudança geracional na agricultura é algo que vem estudando de perto.

“Estamos vendo um declínio na proporção da geração mais velha, a Geração Silenciosa está diminuindo a cada ano. E eles estão sendo substituídos em grande parte por produtores da geração Y e da geração Z. Além disso, também temos várias fazendas com várias gerações”, disse Griffin.

Como os produtores mais jovens desejam usar mais tecnologia na fazenda, Griffin ressalta que eles nem sempre têm condições financeiras para isso.

“O que estamos vendo com as fazendas de várias gerações é que, se houver uma geração mais velha e uma geração mais jovem, elas tendem a ter mais tecnologia do que qualquer uma dessas fazendas por conta própria, ou o que chamamos de proprietários individuais”, diz Griffin. “Uma fazenda da Geração Z, por conta própria, pode não ter a tecnologia devido à falta de recursos. E uma fazenda da Geração Silenciosa pode não ter tecnologia devido ao desinteresse. Mas se juntarmos esses dois fatores com os recursos financeiros e o interesse, eles geralmente têm mais tecnologia do que outras fazendas.”

A pesquisa com produtores do Farm Journal também perguntou aos mais jovens: “Ao pensar em tecnologia, qual das seguintes opções melhor descreve você?” Mais da metade respondeu que adota novas tecnologias quando é prático. E 28% disseram que deixam os outros experimentarem primeiro, mas eles são os próximos na fila.

“Todos nós já vimos alguns dos produtores rurais mais velhos que permanecem com o mesmo varejista agrícola, a mesma cooperativa ou o mesmo banco credor, talvez por mais tempo do que deveriam. Estou observando que a geração mais jovem não faz tanto isso. Eles estão procurando o menor custo por causa dos recursos limitados”, acrescenta Griffin.

Griffin ressalta que a outra grande diferença entre as gerações mais jovens e as mais velhas é a expectativa sobre como a tecnologia funciona.

“Já foi dito que, para os Baby Boomers, a tecnologia precisa ser tão simples quanto um, dois, três. Mas para a Geração Z, ela precisa ser tão simples quanto um, o que significa que você não terá uma segunda ou terceira chance se ela não funcionar logo de cara”, diz ele.

A pesquisa do Farm Journal constatou que, entre os produtores mais jovens que estão voltando para a fazenda, eles estão assumindo a liderança no gerenciamento de finanças e orçamentos, bem como na tomada de decisões sobre a compra de equipamentos e sobre práticas de conservação na fazenda.

Griffin disse que, seja em relação à tecnologia ou a outras compras na fazenda, os produtores da Nova Geração geralmente procuram o melhor negócio e não são necessariamente leais à marca.

“Uma das coisas que também notei no varejo agrícola é que, em vez de vender um único produto, eles podem vender um pacote de produtos e não apenas proteção de culturas ou apenas produtos químicos. Para a geração mais jovem, que talvez não queira ser tão detalhista, eles podem ter a opção de comprar insumos por hectare em vez de por unidade”, disse ele.

Encontrando maneiras de tornar a fazenda mais eficiente

Ao encontrar economias de custo na fazenda e, ao mesmo tempo, ser muito eficiente no que faz, Neiffer disse que os fazendeiros da próxima geração estão encontrando maneiras de trabalhar de forma mais inteligente, e não mais difícil.

Eles estão dispostos a trabalhar duro, mas também estão dispostos a dar um passo atrás e dizer: “O que podemos fazer para tornar esse trabalho mais fácil e mais eficiente? Isso é diferente de nós, da geração mais velha, que talvez estejamos apenas nos esforçando e fazendo as coisas ou fazendo de um jeito, porque sempre fizemos desse jeito”, disse Neiffer. “Acho que essa nova geração está encontrando maneiras de fazer algumas coisas de forma diferente e tornar suas operações mais eficientes.”

Desde querer feedback instantâneo até priorizar a família e assistir aos esportes dos filhos em vez de trabalhar 24 horas por dia, Neiffer disse que os produtores da nova geração estão ávidos por informações, e informações em tempo real. Seja exatamente quantos alqueires estão passando pela colheitadeira a qualquer momento, as informações e os insights que eles obtêm devem ser precisos.

“Hoje em dia, quando se lida com a comercialização de uma safra de US$ 5 milhões, US$ 10 milhões ou mais, é muito importante ter informações contábeis em tempo real na ponta dos dedos para tomar decisões informadas”, disse Neiffer.

Fonte: Drovers, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress