Exportações de carne bovina: receita está em níveis pré-crise 2008 mas volume ainda não se recupera
11 de agosto de 2012
Austrália: frigorífico Tey’s alerta sobre taxa para emissão de carbono
12 de agosto de 2012

Paraguai pode recuperar 80% das exportações de carne em 2012

O presidente do Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (Senacsa) do Paraguai, Hugo Idoyaga, previu que antes do final do ano se recuperará 80% do volume de exportação de carne bovina após a paralisação que significou a perda do status sanitário há pouco menos de um ano.

O presidente do Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (Senacsa) do Paraguai, Hugo Idoyaga, disse que antes do final do ano se recuperará 80% do volume de exportação de carne bovina após a paralisação que significou a perda do status sanitário há pouco menos de um ano.

Embora o Peru tenha habilitado a compra de carne bovina, o presidente do Senacsa disse que, agora, não o país não importará miúdos crus, já que o tempo de maturação ou resfriamento do produto é de três horas, enquanto que o país sul-americano exige 24 horas.

A União Europeia (UE) não voltará a comprar carne antes da restituição do status sanitário do país.

Rússia e Chile importavam 85% dos produtos de carne, sendo necessário recuperar o mercado chileno, que gerava US$ 350 milhões antes do foco aftosa no departamento de San Pedro em 2011. Também se prevê negociar com Brasil e Colômbia.

Segundo Idoyaga, atualmente o Paraguai conta com vários competidores, entre Brasil, Austrália e Estados Unidos, de forma que os frigoríficos terão uma tarefa difícil para recuperar as vendas de carnes vermelhas.

Com relação à restituição do status, disse que em janeiro apresentarão a solicitação ante à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), podendo obter uma resposta em fevereiro.

A reportagem é do LaNacion.com.py, tradzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.

Os comentários estão encerrados.

plugins premium WordPress