Porto de Santos não desembarca produtos canadenses
15 de fevereiro de 2001
EUA desenvolvem teste rápido para detecção de patógenos na carne
19 de fevereiro de 2001

Uso de equações de lucro e de eficiência na determinação do valor econômico de características utilizadas em índices de seleção para bovinos de corte1

Ricardo Carneiro Brumatti2, José Bento Sterman Ferraz3, Joanir Pereira Eler4 e Ivan Borba Formigoni2

Introdução: Revisão da literatura

O aumento da eficiência da pecuária de corte no Brasil, passa necessariamente pela melhoria da qualidade genética dos rebanhos, que pode ser obtida, principalmente, pela escolha dos indivíduos que serão os pais da geração seguinte e direcionamento dos acasalamentos (LÔBO, 1999). Para tanto a evolução das metodologias de estimação dos valores genéticos aditivos permitiram, com a maior acurácia possível, chegarem-se, em bovinos de corte, às DEP´s (Diferença Esperada na Progênie).

Dentre os maiores programas de seleção genética da raça Nelore, implantados no Brasil, muitos fornecem predições de valores de produção para características produtivas, como peso ao nascimento (PN), peso a desmama (PD), peso ao sobreano (PS), e perímetro escrotal (PE) entre outras. Porém, não se consegue determinar o valor genético de um animal com apenas o estudo de uma única característica, sendo necessário um conjunto delas, reunidas em índices, utilizados como critérios de seleção, que tentam revelar o valor do animal como reprodutor.

Uma vez que a ponderação econômica para cada característica esteja correta, a pergunta: “Qual o retorno esperado, em lucro, para unidade de mudança genética de uma característica? “, já bastante questionada entre os pecuaristas, poderá ser mais facilmente respondida.

Atualmente, encontram-se no mercado brasileiro muitos programas de seleção genética de bovinos de corte em diversas raças, como a Nelore e o Brangus, sendo que a totalidade desses utilizam-se de índices de seleção como ferramenta para eleger os melhores animais.

Um tipo de índice de seleção utilizado, foi proposto pela FERRAZ & ELER (1999), no Sumário de Touros Nelore, da Agro-Pecuária CFM Ltda, que apresenta o seguinte índice:

ICFM = 2PD + 4 GPSOBREANO + 2 MUSC + 2 PE,

onde: ICFM = Índice CFM Agro – pecuária; PD = DEP para peso à desmama; GP SOBRANO = DEP para ganho de peso da desmama ao sobreano; MUSC = Dep para escore visual de musculosidade, medido no sobreano; PE = DEP para perímetro escrotal.

Com tudo, independente do grau de complexidade dos diversos índices apresentados, observa-se que para expressar os valores genéticos através dos índices, para assim chegarmos a um mérito genético final, temos que ponderar as características neles contida. Porém, aqui encontramos um sério entrave, pois esses ponderadores são arbitrariamente determinados, o que não reflete o valor econômico real das características sob análise.

Um ponto extremamente importante é o fato de que um dos principais obstáculos para aplicação dos objetivos de seleção tem sido a correta determinação dos valores econômicos das diferentes características, uma vez não estar totalmente claro como estimar os valores econômicos das características que afetam a quantidade de produto e as características que afetam os custos de produção. Os sistemas de análise de produção provêem de um mecanismo de decisão, em relações econômicas, para um complexo sistema de produção, o que requer que os objetivos sejam claramente especificados, algo que dificilmente é considerado. (WELLER, 1994).

Com isso toda a avaliação econômica tem que se enquadrar em um sistema de produção específico e apropriado, e nunca sendo feita de forma genérica. Dizer que o sistema de produção é apropriado, é considerar o período de tempo que se sucede desde a decisão de implantar as práticas de seleção até que os primeiros descendentes, fruto do trabalho de melhoramento genético, estejam inseridos no sistema de produção, o que em bovinos, em especial, é relativamente longo (WELLER, 1994).

Para tanto o desenvolvimento de valores econômicos relativos é baseado na derivação das equações de lucro. Em geral, essas equações descrevem a mudança no retorno econômico como a função de uma série de parâmetros físicos, biológicos e econômicos, sendo o uso principal das equações de lucro, na produção animal, o de definir o peso econômico das características que contribuem para o melhoramento genético dos rebanhos, sendo o lucro, portanto, definido como a função dos valores genéticos aditivos que compõem o agregado genotípico das características a serem melhoradas (GIBSON et al., 1998).

Assim, o presente estudo pretende se concentrar na determinação das ponderações econômicas aplicáveis às avaliações das características produtivas em bovinos de corte da raça Nelore, especificamente no sistema de produção de animais para abate, propondo diferentes ponderações, segundo uma série de cenários de relações de preços que atingem a pecuária.

Material e métodos

Será utilizado um conjunto de dados da Fazenda São Francisco, pertencente à Agropecuária CFM LTDA., situada no município de Magda – SP. O conjunto de dados contém cerca de 56.000 bovinos da raça Nelore, nascidos entre 1984 e 1999, sendo que o pedigree total do rebanho atinge cerca de 90.000 animais.

As análises genéticas utilizaram o programa para estimação dos componentes de variância denominado MTDFREML – Multiple Trait Derivative Free Restricted Maximum Likelihood (BOLDMAN et al., 1993). Os valores genéticos aditivos serão estimados por modelos animais completos. As soluções das equações de modelos mistos serão obtidas através do uso do TKBLUP, ferramenta contida no conjunto de software denominado ABTK (GOLDEN et al., 1992 e GOLDEN et al., 1995). As soluções serão divididas por 2 e expressas em Diferenças Esperadas de Progênie (DEP) .

As análises econômicas serão desenvolvidas sobre duas equações:

Equação de Lucro, proposta por BRASCAMP et al. (1985), que segue abaixo:

P = N (nwV – nC1d – C2),

onde, P = lucro simples; N = número de matrizes em reprodução; n = número de progênie por matriz ao ano; w = peso da progênie; V = valor por unidade da característica considerada; C1 = custo ao dia de crescimento da progênie; C2 = custo por matriz ao ano; d = idade ao peso considerado.

Equação de Eficiência, proposta por WELLER (1994), que segue abaixo:

Fórmula

Ei = índice de eficiência; A1 = receita por quilograma de produto; F1 = custo fixo por quilograma de produto; x1 = número de produtos; x2 = peso do produto; x3 = peso da matriz; K2 = custo fixo por quilograma de produto; K3 = custo fixo por produto; K4 = custo fixo por matriz.
A comparação dessas equações determinará com qual delas obtém-se melhor resultado.

Referências bibliográficas

BOLDMAN, K.G.; VAN VLECK, L.D. Manual for Use of MTDFREML a set of programs to obtain estimates of variances and covariances. USDA – ARS, 1993.

BRASCAMP, E.W.; SMITH, C.; GUY, D.R. Derivation of economic weights from profit equations. Animal Production, v. 40, p. 175-180, 1985.

FERRAZ, J.B.S. & ELER, J.P. Sumário de touros Nelore 99. CFM AGRO – PECUÁRIA. São José do Rio Preto, SP, 1999, 54 p, Sumário.

GIBSON, J.B; VAN ARENDONK. Introduction to the design and economics of animals breeding strategies. Apostila. 1998. 68-111 p.

GOLDEN, B.L., SNELLING, W.M.; MALLINCKRODT, C.H. Animal breeder´s tool kit: user´s guide and reference manual. Colorado State University, Agr. Exp. Station, 1992. /Tech. Bulletin LTB92-2/.

GOLDEN, B.L.; SNELLING, W.M.; MALLINCKRODT, C.H. Animal breeder´s tool kit: user´s guide and reference manual TK3/TKBLUP. Colorado State University, Agr. Exp. Station, /suplemento/ 1995. /Tech. Bulletin LTB92-2/.

LÔBO, R.B.; BEZERRA, L.A.; OLIVEIRA, H.N. Avaliação genética de animais jovens, touros e matrizes. Ribeirão Preto: GMAC, 1999. 90 p. /Sumário/.

WELLER, J.I. Economic aspects of animal breeding. 4.ed. Israel: Chapman & Hall, 1994. 244 p.

********

1 Projeto financiado pela Fapesp
2 Pós-graduandos FZEA/USP, Pirassununga, SP
3 Prof. Titular de Genética e Melhoramento Animal, Grupo de Melhoramento Animal, FZEA/USP, e.mail: jbferraz@usp.br
4 Prof. Associado de Genética e Melhoramento Animal, Grupo de Melhoramento. Animal, FZEA/USP, e-mail:joapeler@usp.br

Os comentários estão encerrados.

plugins premium WordPress