Preço da carne deve subir na entressafra
28 de junho de 2001
Uruguai fica otimista com visita européia
2 de julho de 2001

Efeitos da idade e do cruzamento industrial (Bos indicus) na utilização de dietas com altos níveis de concentrado

Animais Bos indicus e cruzados utilizam forragens de baixa qualidade mais eficientemente do que animais puros Bos taurus. Esse aumento na eficiência de utilização de forragens de baixa qualidade provavelmente seja devido à maior eficiência dos animais zebuínos na reciclagem de nitrogênio via ciclo da uréia em dietas com deficientes em proteína e aos menores requerimentos de mantença dos animais Bos indicus em relação aos Bos taurus. Por outro lado, quando são utilizadas dietas de alta qualidade, os animais Bos taurus consomem uma maior quantidade de alimento devido ao seu maior requerimento em energia, e com isso ganham peso mais rapidamente e mais eficientemente que os Bos indicus.

Portanto, quando temos dietas de baixa qualidade, há uma vantagem para os animais Bos indicus, por aproveitarem melhor a dieta que os animais Bos taurus, que com dietas de alta qualidade têm uma maior ingestão, ganhando mais peso em menos tempo.

Os efeitos de diferentes idades na eficiência de utilização dos alimentos não foram profundamente estudados. Sabe-se que animais mais jovens são mais eficientes, porém, ingerindo menor quantidade de alimento e, conseqüentemente, com menores ganhos de peso.

Pesquisas recentes realizadas no Clay Center, centro de pesquisa americano, compararam o desempenho de animais Bos taurus e animais cruzados (Bos indicus x Bos taurus) em diferentes idades (Krehbiel et al., 2000). O experimento foi feito utilizando-se animais MARC III (Meat Animal Research Center III) e animais cruzados MARCIII x Brahman, para avaliar diferenças na utilização de dietas com altos níveis de concentrado entre animais puros e cruzados em diferentes idades.

Metade dos animais selecionados, com aproximadamente 301 Kg, foram separados e colocados em gaiolas metabólicas para o início das avaliações (bezerros). A outra metade dos animais foi mantida com uma dieta à base de forragem para ganhos de 0,6-0,7 Kg/dia, durante 210 dias, para avaliação e comparação entre as idades (sobreano).

Os bezerros foram adaptados a uma dieta com 95% de concentrado (tabela 1), e posteriormente alimentados durante um período de 237 dias. Períodos de coletas de 4 dias foram feitos nos dias 14, 67, 137 e 228. Os animais sobreano, com peso inicial entre 360 a 400 kg, após adaptação à dieta, foram alimentados durante 165 dias, com pesos iniciais de 360-400 Kg. Os períodos de coletas também foram de 04 dias, sendo feitos nos dias 13, 42, 102, 159 do período de alimentação.

Tabela 1. Composição da dieta

Tabela 1

Não foram observadas diferenças entre tipos de animais para ganho de peso, ingestão de matéria seca e conversão alimentar (tabela 2). Os animais mais velhos (sobreano) ingeriram 28% mais matéria seca, ganharam 16% mais peso e foram 10% menos eficientes do que os bezerros. Esses dados indicam que animais cruzados (Bos indicus x Bos taurus) apresentam desempenho em confinamento semelhante a animais Bos taurus, e que animais mais jovens (mais leves) apresentam melhor eficiência alimentar que animais mais velhos (mais pesados).

Em relação às medidas de carcaça, não foram verificados efeitos do tipo de animal no peso de carcaça quente, na área de olho de lombo e na gordura renal-pélvica (tabela 2). No entanto, foram observadas diferenças na classificação dos parâmetros de qualidade das carcaças (quality grade), sendo os animais Bos taurus melhor classificados que os Bos indicus (Sistema americano de classicação/USDA). Em relação às idades, foi observado que os animais mais jovens apresentaram melhor “quality grade” (qualidade) e melhor “yield grade” (rendimento) que os animais sobreano.

Tabela 2. Performance e características de carcaça

Tabela 2

1- Peso de carcaça quente
2- Slight 0=200; small 0=300; moderate 0=400; abundante 0=500
3- Espessura de gordura
4- Área de olho de lombo
5- Gordura renal e pélvica
6- High select=18; low choice=19; avarege choice= 20; high choice= 21; low prime= 22

A digestibilidade da matéria seca no trato total foi semelhante entre os tipos animais (tabela 3), mostrando a capacidade dos animais cruzados em digerir dietas com altos níveis de concentrado. A digestibilidade aparente da MO no trato total também foi semelhante para os dois tipos de animais, entretanto, os animais sobreano apresentaram maior digestibilidade da MO no rúmen, enquanto os bezerros apresentaram maior disgestibilidade da MO no intestino.

Tabela 3. Digestão da matéria orgânica e consumo da dieta

Tabela 3

Matéria orgânica ingerida
1- Matéria orgânica aparentemente digerida no estômago
2- % matéria orgânica ingerida
3- Matéria orgânica fermentada
4- Desaparecimento intestinal da matéria orgânica
5- Digestibilidade aparente da matéria orgânica no trato total

Os dados apresentados sugerem que a utilização de dietas de altos níveis de concentrado é semelhante entre animais Bos indicus x Bos taurus e Bos taurus. O cruzamento não afetou o ganho de peso, ingestão de matéria seca, nem a eficiência alimentar, mas os animais cruzados apresentaram qualidade de carcaça inferior aos Bos taurus. As diferenças apresentaram-se maiores entre as idades do que entre os tipos de animais.

Fonte: KREHBIEL, C.R.; KREIKEMEIER, K.K.; FERREL, C.L. Influence of Bos indicus crossbreeding and cattle age on apparent utilization of a high-grain diet. J. Anim. Sci., v. 78, p. 1641-1647, 2000.

Os comentários estão encerrados.

plugins premium WordPress