Indústrias de carnes do RS poderão processar matéria-prima de outros Estados
15 de maio de 2024

Preço do boi gordo avança em MT na contramão do mercado

Enquanto a maioria das regiões de pecuária de corte vê os preços da arroba em queda, Mato Grosso é um dos poucos locais onde o valor do boi gordo tem sustentação, mesmo diante da ampla disponibilidade de animais para abate. Por lá, a demanda mais firme, principalmente para vendas externas de carne, contribui para limitar o recuo nas cotações.

O sudeste de Mato Grosso foi a única das 32 “praças” pecuárias avaliadas pela Scot Consultoria em que o preço da arroba bovina subiu hoje (14/5). O valor bruto do boi gordo avançou 1,41% na variação diária, para R$ 215 por arroba a prazo e R$ 212 à vista.

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) ressaltou em relatório que “apesar das escalas de abates longas no Estado, o boi gordo à vista apresentou acréscimo de 1,14%” no acumulado da semana passada.

As programações de abate em Mato Grosso aumentaram 9,46% na última semana e atingiram a média de 10,18 dias úteis, devido à alta disponibilidade de animais, afirmou o Imea.

A oferta é tanta no Estado dono do maior rebanho bovino do Brasil que, em abril, foram abatidas 619,68 mil cabeças, maior volume já registrado. Foram 230,74 mil animais a mais em relação à média histórica de abates em abril, segundo o Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT).

O valor da arroba só se manteve firme porque, na outra ponta, os mato-grossenses também bateram recorde de exportação de carne bovina em abril, com 74,99 mil toneladas.

Oferta ainda pesa
No mercado em geral, as altas temperaturas e a escassez de chuvas em muitas regiões do país estão diminuindo a capacidade de manter o gado se alimentando no pasto. O resultado é o aumento na oferta, que pressiona os preços do boi gordo.

“São Paulo parece ser a região mais afetada por essa queda acentuada nos preços, com uma diminuição de 2,6% em comparação com a semana anterior e com escalas de abate em torno de 12 dias úteis”, disse a consultoria Agrifatto em nota.

A Scot acrescentou que as indústrias frigoríficas paulistas estão comprando apenas o necessário para preencher as lacunas de abate, favorecendo, desse modo, a pressão de baixa.

Em Barretos (SP) e Araçatuba (SP), municípios utilizados como referência para a Scot, o preço do boi gordo caiu 1,32% hoje, na comparação diária, para R$ 227 por arroba a prazo.

Com isso, a cotação do chamado “boi China” – gado com condições específicas para a produção da carne que será exportada ao mercado chinês – perdeu R$ 3 por arroba, para R$232 por arroba.

Na B3, o movimento segue a tendência do mercado físico, com a maioria dos contratos futuros apresentando variações negativas. O contrato com vencimento para maio/24 está cotado a R$ 225,45 por arroba, com queda de 0,09%.

Fonte: Globo Rural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress