Demanda pressiona arroba do boi
20 de março de 2001
Palestra grátis: Roberto Grecellé – A pecuária brasileira depois da Rio + 20
21 de março de 2001

Governo paraguaio estende prazo de vacinação contra aftosa

O período para vacinação do rebanho bovino contra febre aftosa no Paraguai foi estendido para até o dia 31 deste mês. Cálculos do Serviço Nacional de Sanidade Animal (Senasa) apontam que praticamente 90% das 8,5 milhões de cabeças já foram imunizadas.

O prazo, que inicialmente terminaria em 15 de março, foi alterado devido principalmente às fortes chuvas que caíram no país nas últimas semanas. Para o Senasa, a previsão inicial de vacinar 7,5 milhões de animais foi alcançada. Das 320 mil cabeças do Alto Paraná (onde estão Ciudad del Este e Hernandárias, cidades vizinhas a Foz do Iguaçu), restam imunizar apenas 30 mil cabeças, aproximadamente.

O valor atual da vacina está sendo criticado pelos pecuaristas. Importada do Brasil e Argentina, cada dose custa o equivalente a R$ 1,00. Atualmente no Paraguai, apenas uma indústria fabrica o produto. Quando havia outras empresas funcionando, a dose não ultrapassa os R$ 0,51. Mas os criadores sabem que precisam combater os focos da doença. O aumento de 20% na exportação da carne bovina para os chilenos é um reflexo de dez meses sem registro da febre aftosa nos pastos paraguaios.

A segunda fase da campanha está marcada para o início de maio, para a imunização de somente bovinos com idade inferior a dois anos.

(Por Emerson Dias, para Folha de Londrina, 21/03/01)

Os comentários estão encerrados.

plugins premium WordPress