Proibição Canadense à Carne Brasileira
5 de fevereiro de 2001
Testes contra a vaca louca em São Paulo
7 de fevereiro de 2001

Produtores já pensam em pedir reparações

Os principais produtores de carnes industrializadas estiveram ontem reunidos com o ministro interino da Agricultura, Márcio Fortes, para discutir o embargo do Canadá, segundo reportagem de José Alberto Gonçalves e Luiz Guimarães, publicada hoje na Gazeta Mercantil.

Após a reunião, divulgaram uma nota em nome da Associação Brasileira da Indústria Exportadora de Carne (Abiec), apoiando a política brasileira na busca de solução para o impasse com o Canadá. A nota lembrou, porém, que “a carne do Brasil foi submetida a seríssimo constrangimento, com danos irreparáveis à imagem e à reputação da pecuária brasileira.” Desta forma, não descartam pedidos de reparações, caso o bloqueio canadense demore a ser cancelado.

No Brasil, os exportadores trataram de afastar os rumores de que outros países seguiriam a decisão canadense, dizendo que a União Européia é um parceiro antigo, que não tem interesse na suspensão.

De acordo com o dirigente de uma indústria do setor, continua forte o interesse internacional pela carne bovina brasileira. Mas já surgiram propostas internacionais sugerindo redução de 10% nos preços de antes do bloqueio canadense.

Preventivamente, as indústrias devem paralisar a produção de carnes industrializadas destinadas ao Canadá e Estados Unidos por uma semana, para evitar a formação de estoques excessivos. Não há sinais de que seja preciso realizar demissões.

Por José Alberto Gonçalves e Luiz Guimarães, para Gazeta Mercantil, 06/02/01

Os comentários estão encerrados.

plugins premium WordPress